Aprendizados que a crise trouxe para o ramo alimentício

By 21 de dezembro de 2020 Nossa Franquia

O novo coronavírus causou grandes mudanças na sociedade, atingindo todas as classes. Promulgada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em março de 2020, a pandemia Covid-19 no Brasil obrigou as pessoas a reexaminarem seus hábitos e criou um cenário inesperado em que a regra é o distanciamento social. A economia foi severamente afetada, incluindo a indústria de alimentos. 

 

Em estudo da Associação de Bares e Restaurantes (ABRASEL), o mercado gourmet cresceu mais de 10% nos últimos anos. Portanto, as pessoas não perceberam a importância e a lucratividade do setor alimentício brasileiro até a eclosão da crise econômica brasileira causada pelo coronavírus. Com a pandemia, o setor sofreu grandes impactos, incluindo queda nas vendas devido ao isolamento social. 

 

Embora a demanda em alguns setores tenha diminuído, as práticas de muitos outros setores não mudaram, e a demanda pelo consumo do produto ainda está crescendo. 

 

Então, podemos dizer que a indústria de alimentos reduziu bastante o risco de infecção ao convocar o e-commerce para evitar a crise. Segundo dados de 31 de março a 6 de abril de 2020, a taxa de crescimento do e-commerce foi de 18,5%.

 

Também não podemos esquecer do impacto das medidas sanitárias as agências de inspeção de saneamento conduzem um monitoramento mais rígido das empresas de alimentos para garantir que cumpram os padrões de saneamento.

 

A falta de instalações de saneamento pode ter impacto decisivo na ocorrência de multas e até no fechamento de negócios. Portanto, existem iniciativas de apoio aos bares e restaurantes afetados pela pandemia.

 

Além disso, também podemos citar impactos sociais e econômicos, tais como: 

  • Necessita de adaptação tecnológica;
  • Baixa rotatividade;
  • Falta de liquidez e dívida;
  • Situação financeira e contábil insuficiente.

 

Leave a Reply

Open chat