DELIVERY COMO NUNCA ANTES NO BRASIL

By 29 de agosto de 2019 Mercado, Na Mídia, Nossa Franquia

Intimamente ligado à tecnologia, o setor de delivery cresce e precisa estar atento ao que surge de novidade para otimizar processos e melhorar a experiência de quem pede comida em casa ou no trabalho

Por Elidio Biazini

Na contramão dos demais setores, o franchising se mostra uma ótima opção para quem deseja obter seu próprio negócio. Segundo dados da ABF – Associação Brasileira de Franchising – no segundo trimestre deste ano, o faturamento do setor de franquias atingiu o número de 43,122 bilhões de reais, um aumento de 5,9% em comparação com o ano anterior.

Considerado destaque entre os segmentos, o setor de Alimentação segue mantendo a liderança em número de franqueadores e de operações. De acordo com o estudo, esse crescimento constante da receita gerada acontece principalmente pelo aumento de consumo de refeições fora do lar, pois hoje o brasileiro gasta cerca de 25% de sua renda nessa modalidade.

Dados da Pesquisa Trimestral de Desempenho da Associação Brasileira de Franchising de 2019 indicam que as franquias de food service tiveram um crescimento de 7,4% em sua receita comparado ao mesmo período do ano anterior.

Além disso, a eficiência das marcas também auxiliou para que o setor gerasse um bom resultado, como por exemplo, investimentos em inovação, seja ela no processo de operação ou em ações de comunicação. O grande impulso no setor pode ser explicado também pelas novas plataformas de delivery e pela capilaridade de operações, que facilitam a logística de acesso ao consumidor.

A ABF em parceria com a ECD Food Service divulgou recentemente a 13ª Pesquisa Setorial ABF Food Service, que mostra que, 78% das redes pesquisadas pretendem investir em tecnologias de serviços delivery em 2019 contra 66% no ano passado.

Um levantamento feito pelo SEBRAE reforça a preferência dos consumidores por locais que ofereçam entrega em domicílio. Metade dos restaurantes e lanchonetes atendidos pela instituição em todo o país oferecem o serviço, sem terceirização, para dar mais comodidade ao cliente.

Ainda segundo a pesquisa, 12% deles não possuem loja física, trabalhando exclusivamente por meio de entregas, sem portas abertas para a rua. Recentemente, a rede americana Pizza Hut declarou o fechamento de 500 lojas físicas nos Estados Unidos, para ampliar o foco no delivery.

De acordo com uma pesquisa da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL), o crescimento do número de pedidos via aplicativo gira em torno de R$1 bilhão a cada ano. Aumento médio de 12%, que faz com que o setor no Brasil movimente em torno de R$11 bilhões a cada 12 meses.

Isso prova que ter o número da pizzaria em um imã de geladeira, ligar e pedir a sagrada pizza de sábado não é mais uma rotina. A popularização dos aplicativos de delivery nos últimos anos mudou o modo com que o cliente interage com as pizzarias e restaurantes delivery. O telefone que representava cerca de 90% dos pedidos em 2015, hoje é responsável por 30% do que uma pizzaria vende e lidar com a migração de canais de venda se tornou um dos principais desafios de quem trabalha com delivery.

Na rede de pizzarias 100% delivery, Dídio Pizza, essa migração de canais fez com que a marca reestruturasse toda a sua forma de atender o cliente. Mesmo investindo na criação de uma central única para atender todas as mais de 24 unidades da rede no Estado de São Paulo, a rede viu o número de pedidos via telefone cair vertiginosamente nos últimos anos.

A maior resistência acontece ainda em cidades do interior, onde 6,9% do mercado é atendido por aplicativos. Ainda segundo o SEBRAE, são 102,41 milhões de pessoas que vivem em cidades consideradas do interior e 93,1% delas ainda fazem pedidos por telefone, Facebook ou Whatsapp.

Ao ser omnichannel. a empresa consegue encantar a população que ainda não se habituou ao uso dos App, facilitando assim, o pedido, acompanhamento do mesmo e entrega. O foco total no delivery tem muitas vantagens nesse ponto, já que a rede investe cada vez mais tempo e recursos para que o momento de pedir uma pizza seja cada vez mais prazeroso, do início à primeira fatia.

* Elidio Biazini é fundador e Diretor Executivo da Dídio Pizza Delivery – eleita em 2017 a rede de franquia de pizza com maior potencial de investimento pela Revista “Pequenas Empresas, Grandes Negócios” e por quatro anos consecutivos premiada com o selo “Excelência em Franquia” da ABF – Associação Brasileira de Franchising

 

Montou o primeiro negócio no segmento da construção civil, teve uma breve passagem no ramo automobilístico e, em seguida, encontrou-se no mercado de alimentação e começou seu projeto no bairro da Lapa, em São Paulo, com uma unidade de pizzaria delivery. Após a consolidação da primeira loja, realizou seu sonho e tornou sua marca uma sólida rede de franquias que cresce e conquista prêmios de excelência conforme aumenta participação de mercado.

Leave a Reply